Ambientes Externos

A importância de um bom rejunte para piscinas

Quando a piscina é revestida de maneira incorreta, é comum ter problemas de descolamento das placas cerâmicas e outras patologias, sendo necessário refazer todo o trabalho, e tendo como consequência, maiores gastos com manutenção e tempo. Além de selecionar placas cerâmicas próprias para piscina, é importante que os produtos para assentamento e rejuntamento do local sejam especificados de forma correta para evitar futuros problemas.

Saiba a importância de um bom rejunte para piscinas e evite dores de cabeça com os revestimentos cerâmicos.

Qual a importância do rejunte?

O rejunte é responsável por preencher as juntas de assentamento, e quando feito de maneira correta, impede infiltrações e futuros descolamentos das placas, além de agregar valor estético ao revestimento cerâmico.

Algumas das patologias que podem ocorrer:

  • Descolamento

  • Eflorescência:

  • Trincas:

Para obter um sistema de revestimento cerâmico durável, é necessário seguir algumas especificações de juntas. Para te auxiliar, temos um artigo no qual abordamos todos os tipos de juntas e como são feitas. Saiba mais!

Tipos de rejuntes:

Cimentício: é composto por cimento, agregados minerais, polímeros, pigmentos (responsável pela cor), e aditivos. Pode ser utilizado em áreas externas e internas. Pode ser utilizado em áreas externas, internas, e áreas molháveis.

Acrílico: é composto por resina acrílica, cimento, agregados minerais, polímeros, pigmentos e aditivos. É indicado para porcelanatos.

Epóxi: trata-se de um produto bicomponente à base de resina. Portanto, é mais resistente a manchas, antifúngico, além de possuir resistência mecânica. Indicado para pisos industriais, e outros locais sujeitos ao ataque químico.

Para evitar possíveis erros, é muito importante ler o manual do produto, para saber qual o seu local de aplicação, suas recomendações, como preparar, limpar etc. E em caso de dúvidas, não hesite em entrar em contato com o fornecedor para melhores especificações.

É imprescindível que se cumpra o tempo de cura e secagem da argamassa anterior ao rejuntamento para evitar umidade e o aparecimento de manchas.

Impermeabilização:

A impermeabilização da piscina, seja ela rígida ou flexível,  deve seguir as orientações do projetista ou a necessidade  do local em questão. Este item deve ser avaliado e testado  antes do início do assentamento

É importante observar alguns pontos durante a impermeabilização:

A – Retirar toda a sujeira decorrente de poeira, graxa, piche, óleo, serragem ou terra que possa prejudicar  a aderência da impermeabilização;

B – Aplicar o impermeabilizante de acordo com as  orientações do fabricante, tomando cuidados especiais  com ralos, escadas e paredes, já que são comuns problemas  de infiltração nestes locais;

C – Há dois tipos de impermeabilizações possíveis para piscinas:

  • Impermeabilização Rígida: quando a base e a regularização são impermeáveis, dispensando a aplicação de outra camada para obter este efeito. Por não apresentar flexibilidade ela é mais recomendada para piscinas enterradas do que para as suspensas. Caso seja aplicado algum tipo de impermeabilizante, é necessário comprovar a aderência da argamassa de assentamento e medir a resistência ao arrancamento;
  • Impermeabilização Flexível: quando é feita a aplicação de uma camada impermeabilizante flexível sobre a regularização, de modo a evitar possíveis vazamentos. Este sistema é mais utilizado em piscinas suspensas, devido à movimentação sofrida por ela, mas também pode ser usada em piscinas enterradas;

D – Sempre consultar o projetista/construtor sobre qual dos  sistemas é o mais viável para cada projeto de piscina;

E – Fazer o teste de estanqueidade, como previsto em norma de impermeabilização;

F – Se a opção for pela impermeabilização flexível com manta asfáltica, deve-se executar uma camada de proteção mecânica sempre de acordo com a norma  NBR 13753:1996. Esta proteção mecânica deve ter espessura entre 20 e, no máximo, 40mm, deve ser estruturada com tela soldada de malha quadrada  50mm x 50mm e fio galvanizado com diâmetro de 1,65mm em toda a piscina, piso e parede, ultrapassando em 0,5m o limite da borda. Esta tela deve ser ancorada e fixada na borda. O uso de telas poliméricas como reforço estrutural deve seguir as especificações e  orientações dos fornecedores. Se executada corretamente,  esta proteção mecânica pode servir como uma camada  de regularização para o assentamento das placas cerâmicas  e pastilhas, além da simples proteção da impermeabilização.

Escolha a original

De fato, uma mão de obra especializada e produtos de qualidade também influenciam no acabamento da piscina e garantem satisfação durante toda a sua vida útil.

Recomendamos o Rejunte Maxi Piscinas Gail, uma argamassa de rejuntamento à base de cimento sintético, formulada para aplicação de juntas em piscinas e saunas. O produto garante resistência a raios U.V, é de fácil aplicação, além de alta resistência química e suporte ao choque de pH no tratamento de água. Ainda dá a opção de cores branco, cinza e azul celeste.

A Gail oferece a solução completa para piscinas, desde placas cerâmicas e peças de acabamentos até os produtos destinados a assentamento e rejuntamento da obra. Saiba mais clicando aqui.

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.